Origem


Como surgiu o CEB?

O programa Cultivating Emotional Balance nasceu de um diálogo entre o Dalai Lama, contemplativos, cientistas e filósofos sobre o tema Emoções Destrutivas.

Esse diálogo teve lugar numa das conferências do Instituto Mind and Life, ocorrida em Dharamsala, India, no ano 2000. O encontro contou com a participação de vários especialistas, entre os quais Paul Ekman, Matthieu Riccard, Richard Davidson, B. Alan Wallace, Mark Greenberg, etc., e foi descrito por Daniel Goleman no livro Destructive Emotions: A Scientific Dialogue with the Dalai Lama.

No culminar da conferência, o Dalai Lama desafiou os participantes a desenvolverem um programa educacional amplamente acessível e que fosse capaz de oferecer ferramentas práticas para uma gestão emocional mais eficaz.

Paul Ekman e Alan Wallace assumiram esse desafio e para dar resposta ao pedido, desenvolveram o primeiro currículo do CEB, com colaborações de Richard Davidson, Mark Greenberg e Matthieu Riccard. Este currículo procurou combinar de forma puramente secular, práticas contemplativas e pesquisas científicas realizadas na área das emoções.

O primeiro programa foi oferecido no ano 2002 e desde 2010 o CEB tem-se expandindo graças ao início da formação de facilitadores. Hoje está a ser ensinado em mais de 21 países, tendo sido adaptado para vários contextos, incluindo empresas, estabelecimentos prisionais (guardas e prisioneiros), escolas, centros de Meditação, universidades, hospitais e muito mais.